Empreendedorismo materno: Mulheres ganham destaque investindo em franquias

Mulheres empreendedoras estão descobrindo o poder das franquias em meio a um ano cheio de desafios econômicos que o Brasil vive em 2020. O empreendedorismo feminino vem dando novo fôlego aos negócios, à sociedade e às famílias chefiadas por mães.

A mulher tem se tornado cada vez mais protagonistas no empreendedorismo. De acordo com dados do Governo Federal, três em cada quatro lares são chefiados por mulher, e 41% delas têm o seu próprio negócio. São cerca de 24 milhões de mulheres! Dessas 79% têm ensino superior, 68% trabalham em casa, 55% oferecem serviços, 33% estão ligadas ao comércio e 12% a indústria. A capacidade de gerar renda e lidar com o dinheiro, os negócios e a própria vida vêm transformando a realidade econômica e social delas e de suas famílias.

Levantamento feito neste ano pela consultoria IDados com base em números do IBGE revelou também que o número de mulheres responsáveis financeiramente pela renda familiar aumenta ano após ano e chega a 34,4 milhões atualmente. E o investimento em franquias tem sido um forte aliado delas neste momento de independência empresarial.

Segundo o estudo “Liderança Feminina no Franchising”, realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), as mulheres representam 48% dos franqueados no Brasil. Ainda de acordo com a pesquisa, as franquias sob o comando feminino podem ter faturamento até 30% maior em relação ao público masculino.

O crescimento do setor de serviços de bem-estar, por exemplo, fez com que muitas empreendedoras maternas enxergassem esse nicho como uma oportunidade promissora, como é o caso da Júlia Guimarães. A empresária que trabalhava como engenheira química, decidiu investir em uma franquia de bem-estar justamente em um período que muitos consideram incerto por conta da pandemia. Ela inaugurou uma unidade da SPA Express na região do ABC, em São Paulo. O diferencial é que não é necessário sair de casa para realizar quaisquer dos procedimentos, que inclui tratamentos corporais, tratamentos faciais, e pacotes bem-estar e SPA day: tudo é feito na casa do próprio cliente.

“Antes de abrir a franquia estava sem trabalhar, só cuidando do Theo em casa mesmo. Soube da franquia através de um casal de amigos que são de Recife e abriram a franquia em Aracaju, pois moram lá atualmente. E quando vieram nos visitar aqui em SP no final do  ano passado, comentaram que estavam em processo de abrir a segunda franquia (em Salvador). Eu me interessei por ser uma microfranquia, de baixo custo tanto para abrir como para mantê-la, por ser em uma área que me interessa (saúde e bem-estar), e por estar em momento de vida muito propício para voltar a trabalhar, pois o Theo já iria completar 1 ano e estava mais fácil poder dividir meu tempo com os cuidados com ele”, diz a empreendedora.

Leia até o final e encontre uma dica extra.

Mães empreendedoras vêm dando novo fôlego aos negócios
(Foto: Anastasia Shuraeva/Pexels)

POTENCIAL PARA TER UMA FRANQUIA

A ex-bancária Camila Bendochi, 34 anos, resolveu empreender no segmento do franchising e, após pesquisar algumas opções, optou por um modelo home based para ter horários mais flexíveis. Quando se tornou franqueada da Mr. Kids, em 2017, pensou no negócio como complemento de renda, conciliando com o antigo emprego. Quando Valentin nasceu, há seis meses, os planos mudaram.

Máquinas de venda automática de doces e brinquedos é sucesso com as crianças (Foto: Ilustração)

“Depois do nascimento do meu filho e no retorno da licença maternidade, decidi que gostaria de trabalhar somente em um negócio onde fosse possível conciliar as demandas do mundo corporativo a rotina com ele. Assim, resolvi me desligar do banco e seguir somente com a franquia”, afirma.

Foi então que a renda complementar virou a principal. “Comecei com duas máquinas e hoje administro seis delas”, explica a executiva. A Mr. Kids é uma franquia de vending machines voltada para o público infantil, em que o consumidor precisa apenas colocar moedas de R$ 1 ou fichas que a máquina entrega o brinquedo de forma automática, sem a necessidade de um funcionário no local.

A busca por segurança financeira aumenta muito quando a mulher se torna mãe. Por isso, muitas começam a empreender com microfranquias, varejo online, comida, secretariado remoto e negócios ligados ao marketing digital. Como identificar que o modelo pode ser formatado para uma franquia?

De acordo com o consultor gerente de Marketing e Negócios na Thrive Franchising, Léo Abel, o primeiro passo é observar a demanda do público. Por exemplo, se o negócio escalou (aumentou do faturamento sem elevar as despesas na mesma medida), se as pessoas sentem encantamento quando entram no local ou compram o serviço ou produto.

Franquas de gastronomia com foco em alimentação saudável e delivery estão em alta
( Foto: Flo Dahm/Pexels)

Uma das vantagens de transformar o negócio familiar em uma franquia são a aceleração do processo da expansão. “A franquia apresenta segurança de um negócio pronto, já testado e aprovado no mercado. Franquia é o compartilhamento do sucesso. No sistema de franquia, uma empresa pode conseguir abrir 10 unidades de sua loja num período curto, resultado este que se fosse por unidades próprias, poderia demorar mais de 10 anos. Além de conseguir uma nova fonte de receita, o fortalecimento da marca e poder de barganha junto aos fornecedores com a rede”, cita o consultor de negócios da Thrive Franchising.

E quando o caminho escolhido não é a formatação de franquias, mas sim ser franqueada de uma marca consolidada. Em sintonia com a presença feminina no franchising, Léo Abel também destaca que mulher contribui e muito com o crescimento do setor. “Cada vez mais são criados negócios magníficos por mulheres”.

Micro, médias e grandes franquias. As opções são muitas e existem diversos caminhos possíveis para o crescimento. Mas quais são os tipos de franquia que estão em alta? De acordo com o consultor os segmentos em alta são: lojas multicanais (o cliente compra via internet e a loja mais próxima faz a entrega), serviços, mercado pet, gastronômico com foco em alimentação saudável e delivery. (Veja box no final da matéria).

ESCOLHENDO A FRANQUIA IDEAL

E como escolher a franquia que melhor se ajusta ao seu perfil empreendedor? A dica do especialista em formatação de franquias é buscar por franquias enxergando afinidades e apenas visando o dinheiro. “Busquem por segmentos que tem mais agrado, que tem um real valor. Pois é importante que o franqueado se apaixone, ser fã, pelo negócio que a marca franqueadora lhe oferece”.

Quiosque, container, ponto comercial, shopping. É importante buscar informações sobre a franqueabilidade do negócio. (Foto: Karolina Grabowska/Pexels)

E para isso contar com ajuda profissional é fundamental. É importante buscar informações sobre a franqueabilidade do negócio, demonstrativos e balanços, planejamento das modalidades de franquias (quiosque, container, ponto comercial, shopping, etc.) através de planos de negócios, padronização dos processos com a elaboração dos manuais, consultoria sobre as peças jurídicas que compõe a formatação e implementação das novas unidades de franquia. Comandar um negócio próprio não é o mundo dos pôneis. Empreender envolve desafios que vão muito além da habilidade técnica e aporte financeiro.

“Essas são etapas muito trabalhosas e requerem bastante atenção e perspicácia de mercado”, afirma Léo Abel, que ajuda mulheres empreendedoras a conquistarem destaque no mercado de franquias.

DICA EXTRA
Vai abrir um negócio próprio? Registre sua marca! Se você pensa que só ter um CNPJ já protege sua marca, está enganada. Leia essa dica extra para ser uma mulher de sucesso nos negócios.

“As marcas são consideradas bens móveis, como um carro ou uma máquina, e podem ser incorporadas ao patrimônio das empresas ou de pessoas físicas. Por ser um bem móvel, o seu titular pode dispor desse bem de forma livre, podendo vende-lo, licenciá-lo e etc. Ter uma marca registrada significa também que seu titular tem o direito de uso exclusivo, podendo zelar pela sua integridade e reputação. Para isso, é necessário que faça o registro junto ao Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI ou que já tenha uma marca devidamente registrada. Vale ainda destacar que, para aquelas empresas que pensam em se tornar franqueadoras, ter uma marca é um dos requisitos legais para a constituição da franquia”.

Dr. Gabriel Saldanha, advogado especialista em Registro de Marcas e Patentes (Bulhões & Saldanha Advogados)

Tipos de franquia estão em alta

Lojas Multicanais:
são lojas que o cliente compra na internet e a loja mais próxima faz a entrega. Isso permite o fortalecimento da marca com uma excelente estratégia de logística.

Serviços: é um segmento que a tecnologia ajuda na consolidação e profissionalização. E ainda, por ser um investimento mais em conta que o de produtos.

Pet: O mercado mais apaixonante do Brasil! É o setor que há quase uma década cresce acima do PIB brasileiro. Cada vez mais, clientes compram impulsivamente os produtos/serviços básicos e os mimos.

Gastronômico: com foco em alimentação saudável e delivery – É o segmento que tem mais representação no sistema franchising. Esses focos, já estão tendo uma alta demanda de investidores em suas franquias.

Facebook Comments

Deixe seu comentário

Comentar

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.