Creche sem traumas… Para as mães

Muitas mães simplesmente não têm opção: precisam deixar seus filhos na creche, depois da licença-maternidade, para voltarem ao trabalho. Mas, quando essa opção existe, algumas vivem um dilema: o que é melhor para o bebê? Segundo pesquisa feita pelo IBOPE e Fundação Maria Cecília Souto Vidigal, 57% das pessoas consideram que o bebê deva ficar em casa o tempo todo; 24% acreditam que a creche é a melhor alternativa para o desenvolvimento da criança pequena, enquanto 19% não têm opinião formada.

A pesquisa revelou que muita gente ainda vê a creche com uma alternativa secundária à educação da criança. E, por isso, a mãe que não trabalha fora de casa não precisaria matricular seu filho – o que também revela uma visão machista. Poucos entendem a creche como ambiente favorável ao desenvolvimento infantil. Contudo, segundo os especialistas, esses conceitos não estão corretos. Eles afirmam que a creche é um local especializado, com professores habilitados para favorecer o desenvolvimento pleno dos bebês. Por isso, as famílias podem considerar uma importante ajuda para aprimorar o processo de aprendizagem dos seus filhos.
Além disso, contar com a creche não significa que a mãe deixará os cuidados de seu bebê a cargo de outras pessoas. O vínculo do bebê com sua família é de fundamental importância e não será substituído. creche-pauliniaO que haverá é uma parceria, articulando família e escola em favor do desenvolvimento dos pequenos. Além disso, na creche a criança pequena ganha a oportunidade de conviver com outras crianças e receber outros estímulos.

Vale lembrar que atualmente, no Brasil, o ensino é obrigatório dos 4 aos17 anos, abrangendo a pré-escola, o ensino fundamental e o médio. Mas toda criança tem direito assegurado a atendimento em creche e pré-escola, de acordo com a Constituição. Se esse direito fundamental não está sendo respeitado, busque a Justiça! Você pode procurar a Defensoria Pública, o Ministério Público ou o Conselho Tutelar mais próximo.

Por isso, se você precisa deixar seu filho na creche algumas horas, seja para trabalhar fora, seja para fazer outras atividades, fique tranquila: apenas procure se certificar de que o local é seguro e acolhedor. E, quando o bebê voltar para casa, dedique a ele o melhor de seu tempo. No Facebook há um grupo que debate e dá dicas sobre creches em funcionamento no Rio de Janeiro. Vale à pena fazer parte e conhecer o depoimento de pais e mães.

Com informações do Instituto Zero a Seis

Facebook Comments

Deixe seu comentário

Comentar

2 Trackbacks / Pingbacks

  1. Dia feliz: as aulas voltaram - Mãe em Dupla Jornada
  2. Trabalhar como se não tivesse filhos. Só que não! - Mãe em Dupla Jornada

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.