Ludi e a revolta da Vacina – Uma odisséia no Rio Antigo

Baseado no premiado livro infantil “Ludi e a revolta da Vacina – Uma odisséia no Rio Antigo”, de Luciana Sandroni, a história conta a aventura da família Manso que vive uma grande aventura ao passar pelo Arco do Telles, na praça 15 de Novembro, no CentroLudi e a revolta da vacian. Neste momento, todos são transportados para uma odisseia no início do século passado, em 1904, ano em que a cidade vivia grandes turbulências.

Com texto com adaptação dirigida por Augusto Madeira, leva o público ao Rio de Janeiro do início do século XX, o chamado Rio Antigo. Destaque para a caçula Ludi, que também aterrissa na época em que o cientista Oswaldo Cruz se deparou com a revolta popular contra a vacina obrigatória e o Prefeito Pereira Passos remodelava o centro da cidade, abrindo a grande Avenida Central – mais tarde batizada com o nome do Barão do Rio Branco.

A peça tem duração de 60 minutos e cenários como a Confeitaria Colombo, a Praça XV, um cortiço e o bonde, além de informações sobre Machado de Assis e Pereira Passos.  A apresentação faz parte do projeto “Temporadas Infantis do Teatro Sesc Ginástico” e estreia no dia 9 de abril (sábado), às 11h, e fica em cartaz até o dia 8 de maio com ingressos que custam entre R$ 2 e R$ 8.

 

Serviço:

 “Ludi na Revolta da Vacina – Uma odisséia no Rio Antigo”.  Teatro Sesc Ginástico (Avenida Graça Aranha, 187, Centro). Tel.: 2279-4027. Funcionamento da bilheteria: terça a domingo, das 13h às 20h. Temporada aos sábados e domingos até 8/05. Horário: 11h. Preços: R$ 2 (associados Sesc), R$ 4 (estudantes e idosos) e R$ 8. Apresentações exclusivas para escolas públicas (agendamento prévio) nos dias 13/04, 20/04 e 27/04 (quartas, com sessões às 14h e 16h). Classificação: livre. Duração: 60 minutos. Capacidade: 513 lugares.

Facebook Comments

Deixe seu comentário

Comentar

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.